15 de junho de 2010

Pluralidade Cultural:

CULTURA POPULAR:CURSINO.

CAPOEIRA:A cultura popular seria aquela que vem de um saber não institucionalizado, que não se aprende em colégios ou academias; exemplo disso é o crochê,a culinária tradicional,festas populares,etc..Nesta foto vemos uma cultura bem popular por todos nós brasileiros,a CAPOEIRA.
Uma luta criada pelos escravos,como revide as surras,e ameaças feitas pelos feitores.O nome capoeira vem do Tupi ''Mato Ralo'',lugar preferido dos negros para essa luta.Hoje em dia essa luta é ''aceita'' por ser genuinamente nacional,ela é praticada por jovens,adultos,e crianças.

Museu de Zoologia

Situado na Avenida Nazaré, 481 – Ipiranga, o Museu de Zoologia da USP faz estudos sobre animais, especialmente sobre a fauna da Região Neotropical, que abrange a América do Sul e a América Central. Mantém uma biblioteca especializada, publicações, exposições públicas e atendimento educativo com agendamento de turmas. No ensino, o Museu atua em pós-graduação, oferece disciplinas para graduação, cursos de extensão e estágios de aperfeiçoamento e de iniciação científica. É uma instituição de riquíssimo valor cultural para o bairro.
Fonte: http/bairrodoipiranga.com
Escola SESI Cursino
SESI – Vila das Mercês está localizado na Rua Julio Felipe Guedes,138, foi fundado em 1.974, e realiza o trabalho de educação, esportes, lazer, cultura, saúde e alimentação.Esse SESI tem uma fanfarra com 17 elementos dirigida por Pedro da Silva Guimarães, que em 30/10/1984 venceu a IV Olimpíada Radial. O SESI é umas das escolas mais reconhecidas do Brasil, sempre faz exposições e trabalhos bem bacanas para a comunidade,todos eles gratuitos.Um programa bem legal que está com as inscrições abertas agora para o mês de Julho é o curso Alimente-se Bem. Marcado pelas festas populares, o mês de Julho é principalmente lembrado pelos seus pratos típicos.
A proposta é mudar hábitos alimentares, as preparações são econômicas, balanceadas e nutritivas, e ainda, contêm ingredientes fáceis de serem encontrados.Não se esqueçam que esse curso é TOTALMENTE GRATUITO,e vale muito a pena.

Galeria de Arte - Sacomã.

Os pára-choques dos caminhões através de frases de amor, ironia ou saudade, os grafites nos muros da cidade, as cruzes na beira das estradas indicando - sem que ninguém pergunte - que ali alguém morreu, na figura do vendedor de porta em porta, em costumes religiosos, nos cordéis, nas manifestações folclóricas. Tudo isto é uma maneira de comunicar e situa-se na fronteira entre as várias formas de cultura popular e a comunicação de massa. A comunicação não se da somente pelos grandes veículos, pelos jornais, rádios ou televisão. A comunicação não é exclusiva dos eruditos e acadêmicos. Luis Beltrão afirma que a folkcomunicação é a comunicação dos marginalizados, ou seja, daqueles que estão à margem da grande mídia e precisam comunicar aos seus pares alguma informação. Então em 1967 Beltrão defendeu a tese de que Folkcomunicação é um estudo dos agentes e dos meios pululares de informação de fatos e expressões de idéias.
Folkcomunicação é, assim, o processo de intercâmbio de informações e manifestação de opiniões, idéias e atitudes da massa, através de agentes e meios ligados direta ou indiretamente ao folclore.
(fonte:http://www2.metodista.br/unesco/agora/pmc_acervo_pingos_fabio.pdf)

Embasado nos estudos de Luis Beltrão, é correto afirmar que as mensagens transmitidas por meio de pichações enquadram-se à teoria da folkcomunicação, pois em grande maioria os emissores das mensagens por esse meio fazem parte das classes marginalizadas. A intenção desses jovens em expor críticas sociais, ideologias próprias ou, simplesmente, buscar reconhecimento, por parte de seus pares, deixando suas marcas nos locais mais improváveis da cidade. Além disso, podemos questionar as origens dessa manifestação considerada vandalismo por alguns e, por outros, uma forma de expressão artística. Contudo, essa é apenas uma entre tantas outras manifestações culturais que têm na rua seu principal espaço de atuação.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário